Você está em » Economia
Em 08/04/2017 12:54:44

10 BILIONARIOS POSSUEM 104 BILHÕES DE DOLARES

Quatorze brasileiros estão na lista dos bilionários globais. Mas, dez deles, possuem um patrimônio avaliado em 104 bilhões de dólares ou 322,3 bilhões de reais, conforme a revista FORBES.

Os 3 irmãos Jose, Roberto e João Marinho, proprietários da Rede Globo e do Jornal “ O Globo”, têm um patrimônio estimado em 11,3 bilhões de dólares. Se a riqueza pessoal é desse tamanho, imagine, caros leitores, quanto não valem a TV Globo e o Jornal?

Os acionistas majoritários da AMBEV, ex-Antarctica/Brahma, os empresários Jorge Paulo Lemann, Carlos Alberto Sicupira e Marcel Hermann, respectivamente, com riqueza de 29,2 bilhões de dólares, 12,5 bilhões, de 14,8 bilhões, perfazendo um total de 56,5 bilhões de dólares; sendo que Jorge Paulo Lemonn é o homem mais rico do Brasil.

Enquanto – repita-se - apenas esses 10 empresários ostentam e desfilam com esse vultuoso patrimônio de 104 bilhões de dólares, há milhões de analfabetos e sem o que comer diariamente; o que vestir; sem casa e/ou sem teto; sem cobertura de saúde; morando em favelas sem saneamento; estudando em colégios públicos estaduais e/ou municipais sem nenhuma qualidade; sem emprego... Alias, sem nenhuma perspectiva de vida, embora a enganação dos programas sociais.

E morrendo de fome. As crianças subnutridas; vivendo, como (?), das migalhas distribuídas pelos programas sociais, inclusive o Bolsa Família.

Sabe-se que esses ricaços empregam milhares de operários, mas o que usufruem com a mais-avalia, o lucro, que poderia ser menor e mais socialmente distribuído, mais humano, para amenizar, mais ainda, a dor da fome e das carências e/ou necessidades sofridas pelos milhões que têm pouco. Muito pouco. Ou quase nada. Ou nada. E vivem com muita dificuldade. Numa luta diária e indorrmida para sobreviver. Nessa briga eterna dos endinheirados com os pobres.

 Esses apaniguados, afortunados, ricaços bem que poderiam ser mais humanitários. Mais filantropos. E ajudar mais aos seus irmãos pobres. Pauperrismos. O pais clama pela maior benevolência e a caridade desses 14 homens mais poderosos patrimonialmente do nosso Brasil.

O país somente sairá dessa crise se todos ajudarem ou contribuírem; se todos forem solidários, com os milhões de necessitados. Essa desigualdade fomenta ódios, rancores, crimes e desavenças.

Do contrário, os crimes só avançam, aumentam potencialmente a quantidade de criminosos e necessitados.

E não adianta construir mais presídios, inclusive os de segurança máxima. Pois, o problema é de forte e brutal concentração de renda. Muitos não têm coisa alguma. Alguns têm demais.

Há, portanto, necessidade permanente e urgente de desconcentrar a renda para distribuí-la. E sem uma nova reflexão sobre as condições atuais da sociedade brasileira, para minimizar e resolver a situação social e econômica desses milhões, não se construirá jamais um arcabouço digno e justo de sociedade, com a permanência irresoluta desse estado agônico atual.

Esses ricos bilionários não podem ficar indiferentes, pensando apenas em aumentar desmesuradamente os seus enormes e até incalculáveis patrimônios. E culpar a incapacidade do Estado em equacionar tudo.

Enquanto isso – nesse Estado de pré-guerra civil-, com mais de 56 mil assassinatos de brasileiros anualmente, o país ostenta 370 bilhões de dólares em reservas, um superávit de 50 bilhões de dólares por ano na balança comercial. É o maior produtor de carne bovina, de frango e de porco, maior produtor de suco de laranja, maior exportador também de ferro bruto; tem o maior rebanho de gado do planeta...

Embora com 10 ricaços constando da lista dos homens mais ricos e poderosos do mundo, com um patrimônio de 104 bilhões de dólares, reservas de 370 bilhões de dólares e superávit de 50 bilhões de dólares na balança comercial, o quadro sócio-economico e educacional é indigno e injusto.

 As elites ´precisam refletir com serenidade sobre o nosso estagio atual e o futuro da sociedade. Pois, ao persistir nessa toada tudo tende a piorar mais ainda, com destaque em alguns setores econômicos altamente favoráveis ao país.   

 Magno Pires é membro da Academia Piauiense de Letras, ex-Secretário da Administração do Piauí, ex-consultor jurídico da Companhia Antactica Paulista (Hoje AMBEV) 32 anos. Portal www.magnopires.com.br com 83.800.112 acessos em 7 anos e 3 meses, e-mail: magnopires_mp@yahoo.com.br.