Você está em » Gestão
Em 26/06/2017 09:59:09

Magno Pires

            Deixou para trás sua querida terra natal, a Paraíba, porém, sem jamais esquecê-la, e embrenhou-se, de início, em um pioneirismo desbravador, nos rincões das terras férteis do Estado do Maranhão. Mas, bem que poderia emprestar toda sua capacidade, idealismo, inovação, grandioso desempenho às atividades privadas à terra do ex-presidente João Pessoa.

Contudo, e talvez, as constantes e periódicas estiagens, em solo paraibano, o conduziram a adentrar-se corajosamente em terras maranhenses, embora sua atividade principal fosse o comércio grossista e atacadista, à frente, a famosa marca “Armazém Paraíba”; ancora, até hoje, de sua cadeia de lojas, que se expande por todo o norte e nordeste; que independe da estação chuvosa.

            Todavia, posteriormente, tornou-se, também, um virtuoso agropecuarista e latifundiário; inclusive no Piauí, embora em território maranhense  e paraense    estejam fincados os maciços investimentos no criatório de gado e latifúndio.

            O mega-empresário e empreendedor “Seu João”, como é conhecido, carinhosamente, no Brasil, persegue uma constante e árdua tarefa de (re)inovação, em seu conglomerado empresarial. Não se satisfaz com o que faz. E está sempre fazendo; sempre construindo e/ou realizando algo. Sempre (re)inovando. Sempre aumentando o seu já vasto patrimônio comercial, agroindustrial, industrial e de serviços. É um lutador permanente. E também não se satisfaz com o que já fez; quer fazer muito mais, embora aos 86 anos. Por isso, parece, muito mais, um empreendedor de 60 anos.

            Não se fixa na crise. Passa ao largo dela, embora faça os ajustes e imponha os cuidados e controles racionais,  necessários e imprescindíveis ao continuado e crescente desenvolvimento do consolidado empório empresarial. A crise, porém, não lhe intimida, tampouco sua determinação, em lucrar racionalmente, e sem endividar o grupo. É sempre vigilante a todos os negócios, as situações, aos avanços e às questões do império comercial, industrial e de serviços.

            O inovador empresário de múltiplas ações e atividades empreendedoras; que faz pesquisas políticas e eleitorais, mas não carrega o vício da maioria dos colegas de falar mal de governos. Talvez porque saiba e analisa profundamente, como empresário, as dificuldades enfrentadas na gestão da União, para conduzir um país, com fortes, profundas e históricas desigualdades de renda, grandes interesses políticos e financeiros, de difíceis superações, num país de administração com feudais características patrimoniais, e ainda escravocratas.

            Os estados da Paraíba, Piauí e Maranhão, especialmente o do Piauí, onde se concentram os maiores investimentos do conglomerado dos Claudinos, pontificam numerosamente e alavacam quantitativamente o Produto Interno Bruto – PIB, dessas unidades federativas, em razão dos fortes negócios administrados pelo grupo.

Também encabeça, prioritariamente, a quantidade dos impostos arrecadados e, consequentemente, o número de empregos criados, com forte distribuição da renda per capita.

Se o empresário resolvesse encerrar e/ou retirar as suas atividades empresariais, essas unidades federativas entrariam imediatamente em grandiosa crise financeira (teriam brutal queda na arrecadação), fiscal e social.

Entretanto, “Seu João”, não se envaidece; pelo contrário, tende é a fortalecer ainda mais as potencialidades do grupo, para a segurança dessa grandeza; dessa riqueza, adquirida e emoldurada ao longo de vários anos, desde 1967, com muito trabalho, indormido tirocínio, determinação, honestidade, controle e auditoria mensais dos vultosos negócios, cujo patrimônio é estimado em 2,5 bilhões. E milhões de empregos diretos e indiretos. São 14 empresas coligadas.

O norte e o nordeste, aliás o Brasil, precisam, cada vez mais, de empresários com a conduta, o timbre, a coragem, a audácia, a resistência, o destemor e o empenho inovador do mega-empreendedor João Claudino e/ou “seu João”.

Portanto, além de parabenizá-lo efusivamente pela longérra vida, no aniversário de 86 anos, e pela inédita e invulgar capacidade de criação e inovação, o jornal Diário do Povo presta um contributo histórico espetacular,  fantástico, homenageando um empresário de fortes e grandiosas lutas vitoriosas em favor da riqueza no Brasil, do bem-estar social, particularmente na Paraíba, no Piauí, no Maranhão e no Pará. Parabéns ao DP pelo mérito da louvável iniciativa. O “seu João” merece essa gloriosa festa de reconhecimento do elogio e/ou prêmio de fazer as coisas acontecerem constantemente, em prol de todos nós e da nação brasileira. (Este depoimento me foi solicitado pela direção do DP).

 

 

 

Magno Pires é membro da Academia Piauiense de Letras, ex-Secretário da Administração do Piauí, ex-consultor jurídico da Companhia Antactica Paulista (Hoje AMBEV) 32 anos. Portal www.magnopires.com.br com 88.400.000            acessos em 7 anos e 8 meses, e-mail: magnopires_mp@yahoo.com.br.