Você está em » Política
Em 06/12/2017 07:57:57

ARTICULAM-SE PT, PROGRESSISTAS, PMDB, PDS, PSB E PSDB

 

Magno Pires

Após as agressões verbais dos líderes Firmino e Themístocles, por conta da sucessão reeleição do Presidente da Câmara Municipal de Teresina, vereador Jeová Alencar, a sucessão de 2018 aflorou incontinente e está arregimentando os principais líderes da política do Estado.

Articulam-se, para neutralizar a crise, PT, Progressistas, PMDB, PSD e PSDB, com os seus líderes respectivos: Wellington Dias (PT), Ciro Nogueira (Progressista) Marcelo Castro (PMDB), Júlio César (PDS) e Firmino Filho (PSDB).

A questão gira, especificamente, quanto à escolha da Vice-governadoria para 2018

O Governador Wellington Dias sempre muito hábil consegue estancar as crises. Mas, contando sempre, com a forte e insuspeita liderança e a diplomacia do Senador Ciro Nogueira.

E tudo começa com uma reunião na casa do Governador, com petistas ditos históricos: Senadora Regina Souza, deputado federal Assis Carvalho, presidente do PT, o senador Ciro Nogueira e a Vice-governadora Margarete Coelho (Progressista). Tendo gerado ciumeira no PMDB, especialmente em Marcelo Castro (PMDB) e Themístocles Filho, presidente da Assembleia Legislativa.

O senador Ciro Nogueira, aliado de primeira hora dos governistas e um deles, quer consolidar a vaga da Vice-governadoria para Margarete Coelho. Está reafirmando este propósito para Wellington.

Contudo, Marcelo Castro, presidente do PMDB e deputado federal, quer o lugar para o deputado Themístocles Filho. Aliás, segundo informações, o governador já teria assegurado a vaga para o PMDB, sendo indicado o deputado estadual Themístocles. Ciro discorda e daí advém as divergências na coligação governista.

            O senador Ciro fala em pesquisas para saber quem estaria melhor posicionado se Margarete Coelho e/ou Themístocles. Os peemedebistas contestam e dizem que este assunto já está encerrado porque o governador teria adiantado ao partido e para coligados a decisão de Wellington Dias.

A escolha do companheiro de Chapa de Wellington para 2018, talvez seja o maior problema a ser solucionado pelo governador. Há brigas intestinais fervorosas entre os governistas por conta dessa escolha.

E o deputado estadual Themístocles Filho ameaçou que se não for o escolhido às eleições de 2018, romperá com Wellington e lançará o deputado estadual dr. Pessoa para Governador, embora Pessoa esteja filiado ao PSD,  mas tem prazo até março/2018 para optar por outra agremiação.

O senador Ciro Nogueira, que acaba de ganhar outro ministério, o das Cidades, vota fechado com presidente Temer. Não há dissidência no seu partido. Lidera-o firmemente, com 46 votos de congressistas.

O senador Ciro permanece como o maior líder político do Estado. É um dos representantes federais que mais ajudou o Estado do Piauí, nas suas ligações com vários líderes nacionais e o presidente Michel Temer.

O senador Ciro Nogueira é o mais prestigiado político em Brasília pelos cargos que ocupa na agenda política da capital. E se Wellington perder esse apoio, irremediavelmente não ganhará mais a reeleição. Ciro apoia incondicionalmente ao Governador.

Os petistas, que sempre vaiam os colegas da aliança frentista, não deveriam ter essa conduta relativamente ao progressista, do qual recebem  ..... apoio em Brasília às pretensões do Poder Executivo do Piauí. Wellington depende de Ciro.E não pode desgarrar-se dele.

Como tenho adiantado, essa aliança poderá romper, com a saída do PMDB e/ou do Progressistas, além do PSD do deputado Júlio César, por conta da indicação da Vice-governadoria.

O deputado estadual e médico dr. Pessoa está sendo convidado pelo PMDB para se filiar ao partido de Temer. Esta é uma reação natural do partido à escolha de Margarete para Vice, preterindo o também deputado Themístocles.

O PMDB tem apenas 21 prefeitos, enquanto o Progressistas tem 46, o dobro, portanto. O dr. Pessoa poderá ganhar uma Vice-governadoria. Segundo o ex-senador João Vicente ele daria um bom Vice.

O PMDB também está ameaçando não votar em candidatos petistas, mas em Wilson Martins (PSB) para Senador.

O maior desafio que o Chefe do poder Executivo do Piauí tem para resolver às eleições de 2018, é a escolha da Vice-governadoria, atualmente com o Progressistas, mas o PMDB quer para o deputado Themístocles.

            Os petistas defendem a indicação/permanência de Margarete e rejeitam Themístocles. Margarete tem capilaridade eleitoral em todo o Piauí e pouca rejeição. Enquanto Themístocles, além de ter grande rejeição eleitoral, os petistas não toleram sua designação à Vice-governadoria

As pesquisas eleitorais favorecem o prefeito de Teresina com28.5%, dr. Pessoa com 20%, o ex-ministro João Henrique com 14% e o governador Wellington Dias com 42%. Nesse cenário o Chefe do poder Executivo não está bem, embora o melhor avaliado. Entretanto, o tucano Firmino, nem sequer lançou-se candidato a governador e está com 28,5%.

No quadro acima, com essa avaliação, o petista governador terá que avançar muito. Persistindo, pois, nessa posição, com 42%, está fragilizado, podendo perde a governança, embora num evento reeleitoral.

As oposições se fortalecem constantemente. E já falam em votar em Wilson Martins (PSB) para Senador. Mas têm que escolher logo o candidato a governador no grupo.

O ex-senador João Vicente, representante do megaempresário “Seu” João, teria recebido telefonema do presidente Michel Temer (PMDB) para ingressar no PMDB. Todo mundo acredita serem os digitais do ex-ministro João Henrique para fortalecimento das oposições.

A efervescência política está grande. Os líderes estão excitados. As oposições estão animadas com o perfil do eleitorado na expectativa de uma mudança. E os governistas preocupados porque o líder Wellington está com avaliação baixa, com 42%, sendo acompanhado do tucano Firmino, com 28,5¨, e dr. Pessoa com 20%.

Todas essas motivações acontecem, após as mudanças ocorridas na mesa Diretora Câmara Municipal de Teresina, com a eleição vitoriosa do vereador Jeová Alencar e as diatribes entre Firmino e Themístocles, bem assim as brigas pela escolha da Vice Governadoria do Estado entre PMDB e Progressistas.

Magno Pires é membro da Academia Piauiense de Letras, ex-Secretário da Administração do Piauí, ex-consultor jurídico empresarial da Companhia Antactica Paulista (Hoje AMBEV) 32 anos. Portal www.magnopires.com.br com 95.560.201 acessos em 8 anos e dois meses, e-mail: magnopires_mp@yahoo.com.br.