Você está em » Política
Em 19/09/2018 08:07:37

AS PESQUISAS E A OPINIÃO PÚBLICA

Magno Pires

            As pesquisas de opinião pública para Governador do Estado feitas pelo Instituto Amostragem e contratadas e publicadas pelo jornal Meio Norte, garantem que o atual Chefe do poder Executivo do Piauí, Wellington Dias (PT), vence o pleito logo no primeiro turno.

            Exclusivamente a seriedade e honestidade do proprietário do Instituto, responsável pela pesquisa, me levariam a acreditar nesse resultado favorável ao governo. Justamente porque o candidato que postula a reeleição a sua gestão está repleta de denúncias, consequentemente mal avaliado, devido             ao desvio de recursos do contribuinte; especialmente na Secretaria de Educação, da Fazenda e na Secretaria do Meio Ambiente; todas com investigações da Polícia Federal, autorizadas pela Justiça Federal, e pelo Ministério Público Estadual para apuração de aplicação delituosa de recursos; e/ou irregularidades que comprometem a boa gestão com o cometimento de crime de improbidade administrativa, com corrupção ativa e passiva.

            Esse resultado que beneficia a reeleição do Governador, leva-me a outros resultados de pesquisas eleitorais feitas no passado, no período ditatorial, quando os ditadores e/ou os seus prepostos queriam beneficiar eventuais postulantes ao Governo estadual, que não coincidiam com os escolhidos do interesse do ditador e/ou do presidente da República à época.

            As pesquisas encomendadas pelo comando central da revolução eram realizadas em universo previamente escolhido e/ou em campo de ação que começavam pelas residências dos aliados governistas e nos seus escritórios políticos, no Palácio do Governo, nas Secretarias de governo, nos municípios onde, efetivamente, os líderes “apoiavam” o candidato escolhido pelo palácio Karnak.

            As pesquisas eram fraudadas porque os resultados teriam que coincidir e/ou agraciar o homem de confiança do poder central “revolucionário” em Brasília. Não poderiam falhar. E assim, tanto Brasília quanto os políticos do Piauí, atenderiam os seus desejos no resultado eleitoral para manutenção do candidato do grupo político aliado a Brasília. E tudo reratificado com o apoio em “pesquisa realizada”.

            Não estou dizendo que o Instituto Amostragem manipule e/ou fraude as suas pesquisas, mas é estranho que o principal meio de Comunicação da mídia impressa, aliado histórico do governo, não faça outra pesquisa e/ou consulta com outros Institutos para, pelo menos ,confirmar os resultados obtidos com os do Amostragem. Todos estranham os resultados.

            Outro Instituto está realizando as pesquisas e o dr. Pessoa está bem próximo de Wellington Dias (36 a 25), com diferença de pouco mais de 11%(onze) pontos percentuais favoráveis à reeleição do governador; e, em Teresina, a diferença é de 7%(sete por cento) ainda para Wellington. E, nesse cenário, o evento eleitoral vai para o 2º turno.

            Especulam-se dúvidas, pertinentemente, às pesquisas porque no Norte do Estado, a partir de Teresina, (onde há) a maior concentração de votantes no Piauí, o governador não está liderando e a sua rejeição é muito grande.

            Ademais, os prefeitos de Parnaíba, Piripiri, Piracuruca, além de grandes líderes em Campo Maior, Barras, Batalha e Esperantina, não apoiam a reeleição do Chefe do Executivo. Embora na capital, com o prefeito Firmino, que apoio a candidatura do deputado estadual Luciano Nunes (PSDB), porém, também, está dando suporte à reeleição ao Senado de Ciro Nogueira (Progressistas) e a sua esposa Lucy Silveira, candidata a deputada estadual, filiada também ao Progressistas, que apoiam a coligação  á reeleição do Governador.

Nesta situação, queira ou não o prefeito Firmino, enfraquece Luciano e fortalece Wellington. Certamente, achando que o postulante terá o mesmo destino de todos os concorrentes do PSBD ao governo do Estado, inclusive Firmino, que perderam a eleição majoritária. Justamente, creio eu, porque os tucanos não ganham o interior “do Estado”; onde continuam sem ter votos, porque não trabalham outros municípios e satisfazem-se com os de Teresina, onde são historicamente majoritários, com vitórias sucessivas para prefeito de Teresina. Isso desde o líder populista Wall Ferraz.

 

Magno Pires é membro da Academia Piauiense de Letras, ex-Secretário da Administração do Piauí, ex-consultor jurídico da Companhia Antactica Paulista (Hoje AMBEV) 32 anos. Portal www.magnopires.com.br com 107.820.118 acessos em 8 anos e 11 meses, e-mail: magnopires_mp@yahoo.com.br.