Você está em » Entretenimento
Em 06/01/2017 09:59:00

FLORIPES DO REGO PIRES

 

FLORIPES DO REGO PIRES, casada com Bernardo Machado Lopes, recebe o tradicional e familiar sobrenome Rego Pires do seu avô materno Alfredo Pires Lages e da avó Rosa Rebelo do Rego, esposa de Alfredo.

É filha de Magno Pires Alves e Maria do Rego Lages Alves, nascida na Fazenda Monte Alegre, antiga Matinho da Gente, município de Batalha, em 27 de dezembro de 1926.

Toda sua infância foi vivida na Fazenda Monte Alegre, propriedade de seus pais Magno Pires Alves e Maria do Rego Lages Alves.

Na infância e início da adolescência, ainda residia na Fazenda Monte Alegre, onde também, iniciou os seus primeiros estudos na Escola Municipal Sta. Teresinha, onde foi alfabetizada.

É a 2ª filha do casal, com mais 12 irmãos, do total de 14, com 9 mulheres e cinco homens; tendo falecido Nelson e Sulamita do Rego Pires.

Floripes casou-se com Bernardo Machado Lopes na Fazenda Monte Alegre; do consórcio do casal, nasceram três filhos: Custódio Borges Alves, Luzia e Fernanda.

O casal teve três filhos: Custódio Borges Alves, Luzia Maria Pires Machado e Maria Fernanda Pires Machado. Fernanda adotou Isabel Cristina Pires Machado. Custódio é médico clínico geral renomado e professor da Universidade Federal do Piauí, também ex-diretor do HEMOPI e coordenador médico do Hospital Med Imagem; Luzia é funcionária pública estadual; e Fernanda é professora na rede de ensino público de Teresina e do Estado do Piauí. Formada em Pedagogia e Teologia.

O filho Custódio Borges Alves nasceu em Batalha em 23.10.1952; casou-se com Fernanda Eulálio, nascida em 17.11.1957. E da união advieram três filhos:

A filha Bruna Eulálio Alves formou-se em medicina, com título de doutora na Unicamp e professora da Universidade Federal do Piauí; casou-se com o engenheiro elétrico Alan Santona, tendo Maria Eulálio Alves Santana. 

Renata Eulálio Alves, formada em Direito, funcionária pública Federal no Senado Federal, casou-se com Marcel Furtado.

Vanessa Eulálio Alves Furtado, casada com Marcel Furtado, formado formada em Ciências Contábeis e Administração de Empresa. Trabalha no INSS,  tendo Maria Eulálio Alves Furtado e Lívia Alves Furtado.

Na Fazenda Monte Alegre havia um regular Centro Comercial, com loja que transacionava vários produtos, inclusive tecidos e bacalhau, que proporcionavam a compra e/venda de produtos como cera de carnaúba, tucum, babaçu; e cereais como arroz, milho, feijão, massa de arroz... fartos na região, por outros bens comestíveis, importados de outros municípios, e até do Estado do Ceará.

A adolescente Floripes do Rego Pires manteve as suas relações com esse comércio; dele participando; atendendo os fregueses da Casa Comercial, que eram os inúmeros agregados que residiam em Monte Alegre e nas n’outras propriedades, nas cercanias do Monte Alegre, mas também n’outros lugarejos mais distantes, como Tamburil, Fazenda Cocos, Taboleiro, Sta.Teresa, Unha de Gatos etc.

Entretanto, após a adolescência, Floripes foi encaminhada pelos pais para Parnaíba para estudar o ginásio. Foi residir com a tia Nazaré do Rego Pires, casada com Celso Cordeiro Gonçalves; mas teve que se mudar para um pensionato, porque não se adaptou às condições da casa do tio para continuar os estudos.

 Assim, foi matriculada na Escola da União Caixeral, única escola de referência na cidade, que atendia às exigências de bom sucesso nos estudos.

Desse manejo e trato com o comércio dos pais na Fazenda Monte Alegre, agregou-se à sua personalidade a característica ímpar e inédita de querer comercializar; e, com isso, residir na Fazenda, onde também foi-lhe construída uma casa residencial, onde residia com o marido. Floripes e o esposo moraram nessa casa e dirigiam, juntamente com os pais, a Casa Comercial.

Espelhando-se no pai Magno Pires, também ingressou na política partidária, tendo sido eleita vereadora e vice-prefeita de Batalha. Sempre apoiada pela política, e,  ainda hoje, aos 90 anos, permanece com a casa atendendo aos amigos e correligionários em Batalha,

         A nossa irmã e bibliografada Floripes do Rego Pires residiu, prioritariamente, em Batalha, onde ainda mantém uma casa. Jamais esqueceu a sua cidade natal. Mesmo morando nessa cidade, passava grande parte do tempo na Fazenda Monte Alegre, onde também criava gado, ovinos, caprinos e galinhas. Sempre manteve contacto permanente com os agregados da Fazenda. Com o tempo e o avanço da idade, passou a residir em Teresina, porém, constantemente, viaja para Batalha e também Monte Alegre para matar as saudades.

         Fundadora da Escola Municipal Dedília Melo. Implantou o 2º grau em Batalha. Supervisora de Educação no Estado; fundou o Conselho Tutelar em Batalha.

         Possui inúmeros amigos em Batalha e os visita; não os esquece. Tem um grandioso número de admiradores e ex-alunos em sua cidade natal, porque foi professora e diretora escolar do município.

         Entretanto, neste evento, não poderia deixar de nominar alguns amigos, como padrinho Teodoro, Manoel da Ana, compadre Manoel Miguel, Adão, José Virgulino, compadre Cazuza, compadre Gonçalo, Manoel Caxeiro, Chico Caxeiro, Neguinho, Chico Marcos, Zé Nezute, Nezute, Chica Pequena, Uga, Mundica, Padrinho Chico Grosso, Carmino, Conceição, Edite, madrinha Delaide, mãe Baia, Padrinho José Medeiros, Zé do Compadre Cazuza, Chico Duca, compadre Manduca, compadre Gonçalo, alguns vivos e a maioria falecido; e Zé Firmino e Joca, que conviveram, com todos nós, e foram importantes na sustentabilidade sócio-econômica da Fazenda Monte Alegre.

         Quero reverenciar e agradecer a todos, pelo trabalho em prol da fazenda, e dizer-lhe da grande ajuda, em todos os momentos, ao lado do papai e da mamãe, tendo sido fundamental a sua contrapartida.

         Ainda como professora nas áreas de Geografia, Educação Moral e Cívica, recebeu várias homenagens dos alunos, o que dá forte relevância e reconhecimento ao trabalho prestado ao município. Isso, graça à benquerença dos cidadãos de Batalha, para com a ex-vice-prefeita, vereadora, professora, diretora e educadora que cravou sua conduta irreprochável e reconhecidamente lídima        na memória de seus concidadãos e irmãos em Deus.

         E esse procedimento em sociedade, cujo relacionamento social produziu uma fortíssima correlação inter e intra social de integração, capaz de emoldurar a assistência de valores humanos insuperáveis e insubstituíveis que caracterizam mais ainda a sua personalidade; elevando-a a um grau maior de satisfação na convivência com seus parentes e amigos; e dando-lhe uma sobrevivência invejável aos 90 anos; mesmo se considerando o aumento da expectativa de vida no Brasil, que passou para 76 anos, enquanto já superou em 14 anos esse limite.

Ainda podendo ultrapassar esses 90 anos bem vividos, bem tratados, e espetacular e merecidamente festejados pelos seus filhos, irmãos, sobrinhos, netos e amigos do Piauí, especialmente de sua Batalha.

         Embora com uma personalidade forte, muito adequada e característica dos Pires Lages e Rego Lages, projetou-se no meio social e fez uma enorme quantidade de amigos e admiradores, os quais preserva. E é o alimento prioritário de sua longevidade. Pois, sem os quais, a sua permanente conservação, jamais teria essa sobrevida, essa longevidade, que ultrapassa, sem sombra de dúvida, todos os limites da razoabilidade e da contemporaneidade.

Justamente porque não teve uma vida de facilidades, com dinheiro e bens materiais fartos; as dificuldades foram um marco constante na sua vida. Mas, o importante é que soube superá-las com honradez, determinação, coragem e bravura, não fraquejando diante dos obstáculos permanentes que lhe foram antepostos, entrepostos e pospostos na sua luta para criar e manter os três filhos, após o divórcio.

Foi determinadamente audaciosa. Não se intimida com os impasses.

Superou os enormes obstáculos de uma luta, numa vida diária, repleta de carência; especialmente num país com permanente desigualdades sociais e econômicas; onde o domínio da elite econômica impõe uma desconcertante e desigual oportunidade de vida e de trabalho.

O essencial, contudo, é que venceu desbravadamente os barreira numa luta titânica e vitoriosa. E infinitamente desigual.

         Entretanto, madrinha Floripes, Custódio, Luzia e Fernanda, suas netas, bisneto e genros, o relevante mesmo é que você venceu com amor, compreensão, sem ódio, e convicção, contendo até invejosos, esbanjando exemplo para todos, dando banca, galhardamente, todas as dificuldades; e demonstrando que o essencial é a vida e o corpo, que a este mantém, sem pretender sobrepor-se aos demais, impondo uma conduta de humildade fortalecida com a invejável experiência de 90