Você está em » Política
Em 05/06/2018 10:14:27

ELMANO E JOÃO VICENTE OPOSIÇÕES À REELEIÇÃO DO GOVERNADOR

 

Magno Pires

 

            O ex-senador e empresário João Vicente agora terá que convencer ao deputado tucano Luciano Nunes e ao PSDB a declinarem da eventual candidatura ao Governo do Estado para lhe apoiarem. E Luciano seria o Vice de João Vicente. Entretanto, o Vice de Luciano seria uma indicação do Prefeito de Parnaíba, Mão Santa, e do ex-governador Zé Filho, com a escolha de Cassandra Moraes Souza. Além desse problema que não será de fácil resolução, há o lançamento de Elmano Ferrer (Podemos) ao governo do Estado.

            Entendo, contudo, que com Elmano “os Claudinos” não terão grandes dificuldades. Ele só existe politicamente em razão da longérrima amizade familiar e dos apoiamentos do Grupo Paraíba.

            Será, porém, que o prefeito Mão Santa e o ex-governador Zé Filho desistirão, facilmente, da eventual candidatura de Cassandra Moraes Souza para ceder o lugar para Luciano a fim de recepcionar João Vicente? São, no entanto, dois ex-governadores, ex-deputados, ex-prefeitos com larga experiência e tirocínio político; habituados e até useiros e vezeiros na arte de fazer política e conciliações; perderam e ganharam pleitos. E a política é o seu dia a dia; a vida dos seus encantos; o seu trabalho diário; e até o ganha pão de cada dia. Não podem viver sem a política. E trabalham com a certeza de sempre serem vitoriosos nos embates eleitorais. E a oposição piauiense precisa mais que nunca de um inquilino no Palácio do Karnak. Portanto, o objetivo é ganhar. Consequentemente, fazendo as conciliações possíveis. Mão Santa é um líder popular e Parnaíba pesa muito na eleição majoritária.

            Além de Mão Santa e Zé Filho, há o fator Firmino Filho (PSDB) que tem os seus encantos pelo Senador Ciro Nogueira (Progressistas). Inclusive sua esposa está filiada a esse partido. Ciro apoia a reeleição do Governador Wellington. É o seu aliado incondicional. O ex-prefeito Sílvio Mendes, atual presidente da FMS, também é filiado ao Progressistas, mas Secretário de Firmino.

            Nesse cenário, Firmino ficará com Ciro, apoiando-o para Senador e com Wellington para Governador? O prefeito tucano teresinense, porém, regateia em apoiar Luciano Nunes (PSDB). Especula-se que Luciano terá o mesmo destino de Wall Ferraz, Sílvio Mendes, Francisco Gerardo e do próprio Firmino que foram derrotados em todas as eleições que concorreram para o Governo do Estado. O PSDB só tem voto em Teresina. E já perde grande quantidade deles para o dr. Pessoa. Não alargou sua capacidade eleitoral no interior do Estado. É um sem voto nos municípios.

            Contando João Vicente com os apoiamentos de Mão Santa e dr. Pessoa terá excelente base eleitoral. Os dois têm votos populares e também capilaridade em todo o Estado. E se o prefeito Firmino desgrudar-se da reeleição de Wellington, para apoiar João Vicente, as oposições restarão muito fortes.

            Para “os Claudinos”, acredito eu, tanto faz ser candidato Elmano quanto João Vicente. Até porque Elmano não sobreviverá sem o apoio dos empresários do Grupo Paraíba. Elmano, entretanto, tem amor canino à família. Evidente que desistirá de sua candidatura para apoiar o ex-Senador.

            A política não é uma ciência exata, mas tem muita lógica; E sem uma lógica perfeita, racional, cartesiana, não se ganha nenhuma eleição, embora os recursos financeiros que, necessariamente, terão que existir. E quem os tem é o Grupo Paraíba e/ou “os Claudinos”. Luciano Nunes não os tem. Tampouco Elmano. Consequentemente, o ex-senador é o eventual candidato materializável, factível, conquanto soma e/ou dispõe dos recursos necessários; é um candidato de conduta irreprochável, ilibada, sem a prática de ilicitudes nos cargos que exercera. E, como empresário, não há notícias de mal feitos seus. É um bom eventual candidato para o Piauí.

            Ademais, devo registrar, o líder empresarial e o maior e/mais forte empresário do Piauí “Seu João” faz (ou fez) favores a centenas de milhares de piauienses. Notadamente para políticos. E conhece a engrenagem política do Piauí. E ainda tem o melhor Instituto de Pesquisa de Opinião Pública do Estado. Portanto, se sinalizar com João Vicente é porque as pesquisas projetam um cenário favorável ao filho na eleição de outubro.

            Para finalizar, o Piauí, entretanto, precisa de uma alternativa política consolidável à gestão petista de Wellington Dias que está desgastada. Todavia, João Vicente e/ou qualquer outro eventual candidato oposicionista, não poderá partir da premissa de que o Governador Wellington e o PT e/ou o petismo estão mortos, feitos o antigo PFL, por conta da prisão de Lula – o maior líder popular do Brasil –, após JK. Isso não existe. Os movimentos sociais pro Lula persistirão ainda fortes, embora em declínio. E o PT tem a mais atuante, árdua e efervescente militância política do Brasil. Incomparável com qualquer outro partido. Nisso a agremiação é inédita, ainda que os percalços com mensalão, petrolão, prisões e condenações... traços comuns a todos os partidos brasileiros, especialmente dos maiorais.

 

Magno Pires é membro da Academia Piauiense de Letras, ex-Secretário da Administração do Piauí, ex-consultor jurídico empresarial da Companhia Antactica Paulista (Hoje AMBEV) 32 anos. Portal www.magnopires.com.br com 102.320.120 acessos em 8 anos e cinco meses, e-mail: magnopires_mp@yahoo.com.br.