Você está em » Política
Em 23/12/2016 23:04:00

FIDEL SUBIU E DESCEU SERRAS...; OS OUTROS NÃO.

Magno Pires

As ditaduras são todas iguais. E contestadas pelos seus desafetos. De direita, de esquerda e até de centro. Nenhuma é indolor. Todas, indistintamente, matam, torturam, esfolam, exilam.... E seus líderes metem, enganam, mistificam, falseiam a verdade, reprimem... Proíbem a liberdade de expressão... Censuram as pessoas, jornalistas e a imprensa. Nenhuma sobrevive fora desse cenário maldito e mortífero. É da índole das ditaduras e de seus líderes essas manifestações. A intimidação das pessoas, com prisões dos adversários, norteiam as condutas dos seus líderes. Não ditadura nem sequer amena. Todas mantém sua face perversa. Intolerante, de desrespeito às liberdades individuais. As ditaduras, todas elas, repito, preservam essas características porque não conseguem manter-se sem essa conduta irrepreensível, forçadamente coercitiva, e de coação radical aos seus liderados e submetidos. Amenizar esses métodos, poderá significar falecimento prematuro de sua atuação; embora, com o tempo, reverta esse quadro, por cansaço de sua sobrevivência. E a derrubada dos seus líderes.

O líder Fidel Castro teve as suas virtudes reconhecidas por milhões de adeptos e seguidores em Cuba e no planeta. Possui também, por outro lado, milhões de críticos e inimigos pelo mundo afora. Estados Unidos e ex-URSSUnião das Repúblicas Socialistas Soviéticas que dividiam o mundo entre capitalismo (ou democracia) e socialismo, respectivamente, de direita e de esquerda, um e outra, despudorosamente, financiando guerras civis e militares, ditaduras, foram responsáveis pela manutenção da guerra fria na sociedade moderna.

Nesse contexto aparece a minúscula Cuba, sob a guerra fria, instabilidade social, política e econômica, a guerra atômica, a construção e desmonte do muro de Berlim na sociedade moderna. Cuba, com Fidel Castro, aliado da Rússia, com sua forte liderança, para derrubar a ditadura de extrema direita de Fulgêncio Batista, que impunha na ilha um regime violento e de repressão pró-Estados Unidos. Prostituição, pobreza, miséria, forte concentração de renda e desigualdades econômicas e sociais, com repressão dos adversários, impera em Cuba sob o ditador Fulgêncio. E Fidel, combatia, idealisticamente, essas mazelas, sem aproximação inicial com a Rússia, mas inimigo fidagal dos Estados Unidos, certamente o maior apoio do ditador Fulgêncio.

Fidel Castro foi o maior líder das Américas. Nenhum outro país nas Américas e Caribe teve um líder com a sua projeção. Nem sequer no Brasil, com Getúlio Vargas, Juscelino e Lula. Jonh Kennedy, outro líder mundial, mesmo detendo o maior poderio econômico e bélico do planeta, não teve a audácia, a capacidade, a liderança, a coragem e a determinação de Fidel.

Cruchev e Gorbachev, líderes russos, celebrados mundo afora, também não.... E Mao Tse Tung, o chinês que revolucionou a China, não se iguala a Fidel. A Inglaterra e Alemanha tiveram líderes moderados e diplomáticos, harmônicos, mas sem a determinação do líder cubano. Nenhum surgiu e ressurgiu, com incursões e temporadas nas serras, nas matas e campos, nas cidades, para enfrentar as adversidades do tempo e o grandioso poder econômico e bélico dos Estados Unidos, aliado de Fulgêncio Batista; e principal apoio contra a liderança de Fidel.

Fidel, diferentemente de outros líderes, subiu e desceu serras, amotinou-se no campo, nas selvas, daí sua peculiaridade revolucionária, sem similar. Foi único, inédito, sem similar, nas Américas e no mundo, como líder de uma revolução supostamente socialista. Venceu e governou até a sua morte, sendo substituído pelo irmão Raul Castro. A partir do seu desaparecimento a ilha poderá mudar, com o alinhamento com os Estados Unidos, pelas mãos democráticas do poderoso presidente Obama. E agora, tendo a contestar o regime cubano, que amenizou nas suas intolerâncias, o empresário Donald Trup, eleito presidente dos Estados Unidos e um dos homens mais ricos do planeta.

 

 

Magno Pires é membro da Academia Piauiense de Letras, ex-Secretário da Administração do Piauí, ex-consultor jurídico da Companhia Antactica Paulista (Hoje AMBEV) 32 anos. Portal www.magnopires.com.br com 80.780.209 acessos em 7 anos e 2 meses, e-mail: magnopires_mp@yahoo.com.br.