Você está em » Política
Em 05/06/2018 10:31:51

JOÃO VICENTE TAMBÉM DISPUTA A VICE DE WELLINGTON

 

Magno Pires

 

Governistas e oposicionistas não se entendem quanto as posições e aos cargos majoritários, notadamente os de vice-governadores, que devem disputar às eleições de 2018. A situação do Governador Wellington Dias (PT) sobre o cargo que disputará é tranquila. O deputado estadual Luciano Nunes (PSDB), também postulante do Governo do Estado, ainda não resolveu o problema da indicação do Vice, assim como o Chefe do Poder Executivo do Piauí. O último motivo aventado, foi o do ex-governador e ex-ministro Senador Freitas Neto. E seria uma indicação dos ex-governadores Zé Filho e Mão Santa, este atual prefeito de Parnaíba.

Entretanto sob o amplo guarda-chuva político do Governador Wellington há uma confusão (in)convergente de interesses sobre a sua vice capaz de enlouquecê-lo. E em cada momento parece agravar-se e/ou potencializar-se. Esses movimentos políticos diversionistas estão desestabilizando a sua gestão e criando um clima de inflexão política que o incapacita de decidir quanto a efetiva escolha do eventual substituto de Margarete Coelho. Ou então, será uma espetacular jogada política do Governador que poderá traduzir-se em uma esperteza político-partidária jogando sua decisão para a undécimo hora. Enquanto isso, vai entretendo os candidatos. E deixando todos ansiosos e exacerbados; especialmente os eventuais candidatos a Vice.

            A vice governança de Wellington Dias é a mais disputada e cobiçada da história recente da política piauiense. O Senador Ciro Nogueira (Progressistas), da base aliada, insiste com a permanência da professora Margarete Coelho. O MDB finca o pé pela indicação do deputado Themístocles Filho (MDB), que não é coligado histórico do governismo. Chegou depois, após ingresso do Progressistas. MDB e Progressistas disputam a vaga. O deputado Themístocles Filho, contudo, aprovou a maioria dos projetos do Governador na Assembleia Legislativa; inclusive a polêmica e escrachante mensagem sobre o aumento do ICMS. Essa Vice ainda vai consumir muita conversa, tempo, discussões e divergências. E contrariar a muitos.

Pois, vejamos agora, o próximo round...! O ex-Senador João Vicente, que postura ser candidato a Governador, sempre muito indeciso e atirando para todos os lados, e sem decidir-se sobre o cargo que disputará em outubro, acaba de entrar na briga pela Vice de Governador, após não emplacar a ex-deputada e atual Secretária de Estado, Janaína Marques (PTB), denunciada por improbidade administrativa. Pois é: João Vicente quer agora ser o provável Vice de Wellington; após reafirmar pelos quatro cantos do Piauí, em rádio, jornal e televisão que não tem perfil de vice; tampouco de se aliar ao governismo que criticou por várias vezes. Acha a atual gestão petista ineficiente e improdutiva. Permanece, contudo, como um bom candidato a governador, que desistirá, em prol da Vice.

            João Vicente, como Vice, é um acalento para o Governador e é uma escolha mais palatável do que Themístocles, Margarete e Janaina, segundo os situacionistas. E resolve parcela das pressões sobre o Chefe do Poder Executivo.

            O poder político do empresário João Vicente é enorme. Foi Senador, deputado Federal e concorreu uma vez ao governo. E, juntando-se ao Pai, o “Seu João”, torna-se mais poderoso que o Governador.  É o maior empresário do Estado. Dirigente de várias empresas sólidas; o seu empório empresarial está entre as mais relevantes do Nordeste e do Brasil. Abraçando vários setores econômicos, com núcleos eficientes, sólidos, produtivos.

            O Governador Wellington poderá decidir-se por João Vicente. Sabe, entretanto, da abrangência política e empresarial de “Seu João”  e das centenas de favores que fez para políticos e outros membros da elite piauiense.

            Definindo-se por João Vicente, o Governador tentará aplacar os ânimos de Themístocles (especula-se, com informação procedente de São João do Piauí, que o Governador tem uma relação assinada por 100 (cem) prefeitos, todos contra a indicação do presidente da Assembleia para a Vice), de Margarete Coelho, de Ciro Nogueira e o MDB, oferecendo-lhes outras benesses para tranquilizar os ânimos exaltados e contrariados. Não será fácil...

 

Magno Pires é membro da Academia Piauiense de Letras, ex-Secretário da Administração do Piauí, ex-consultor jurídico empresarial da Companhia Antactica Paulista (Hoje AMBEV) 32 anos. Portal www.magnopires.com.br com 102.700.118 acessos em 8 anos e seis meses, e-mail: magnopires_mp@yahoo.com.br.