Você está em » Esporte
Em 03/08/2016 08:53:00
Vida de atleta não é fácil. Para a mãe de um atleta, nem se fala. Para conseguir melhorar os treinamentos e chegar forte à Olimpíada, Sarah Menezes passou a morar no Rio de Janeiro pouco mais de um ano e deixou Teresina, sua terra natal. Mãe da judoca, Dona Olindina Menezes viajou para a capital carioca para estar perto da filha na disputa pelo bicampeonato olímpico. Vai acompanhar a campeã olímpica de Londres 2012 em ação na Arena Carioca 2 no dia 6 de agosto. Antes do embarque, Dona Olindina contou planos: além da medalha, ela também quer trazer a cria de volta para casa. Revelou também que pediu em orações sabedoria à judoca. Na Cidade Maravilhosa, conhecerá o namorado de Sarah, o francês, Loic Pietri. Com carinho, Dona Olindina fez um painel com todas as medalhas da filha. São 137 ao todo, expostas na entrada da casa. A de número 138, claro, tem espaço especial. 
Quando apresentou queda de rendimento e chegou a ter a presença na Rio 2016 ameaçada, Sarah Menezes foi aconselhada a morar no Rio e ficar mais focada nos treinamentos. A decisão não encontrou resistência da mãe, mas ela sente a ausência da filhona. Nos dias que antecedem a disputa no judô, Sarah está concentrada e não poderá estar com a família sempre. Mas passado o evento esportivo mais importante do planeta, a judoca vai ouvir conselhos para retornar ao Piauí. Palavras de Dona Olindina.
"Eu vou pensando em trazer algo. Depois dessa competição, eu estou aguardando o retorno dela aqui, que faz um ano distante da gente. Estou querendo trazer a Sarah na bagagem", diz Dona Olindina entre risos.
Nos Jogos, a mãe da campeã olímpica vai fazer algo que não está muito acostumada: acompanhar as lutas pessoalmente. Ela conta que em 16 anos de Sarah no judô não assistiu mais do que três competições. Isto, inclusive, fez com que ela nem percebesse o período de maus resultados vividos pela filha.
"Nunca fui aquela mãe presente nas competições, sempre fiquei acompanhando de longe. E confiante porque sempre ela mostrou o que ela é hoje. A queda de rendimento dela eu quase não observei. Ela aqui era sempre alegre, feliz, acompanhada de amigos. Nunca demonstrou nada".
Mas na Olimpíada, a mãe estará e promete se destacar no meio da multidão. Dona Olindina quer que a filha sinta a torcida da família na arquibancada. Além da mãe, um grupo de 12 pessoas próximas à Sarah, familiares e amigos, vai assistir às lutas na Arena Carioca 2. "Eu vou ver de perto e com certeza vou gritar muito. Eu espero estar tranquila no dia 6 acompanhando essas lutas. Temos um grupo de umas 12 pessoas e vamos estar vibrando bastante, de olhos bem abertos", afirma.
É no Rio que Dona Olindina também vai conhecer Loic Pietri, namorado da filha. Ainda sem ter visto pessoalmente o francês, campeão mundial de judô, a mãe da atleta sente que o - quem sabe futuro genro - é um bom companheiro
"Eu nem conheço o rapaz ainda. Ele esteve aqui no Brasil, mas em Brasília, no apartamento da minha filha mais velha, que conheceu a família dele em Paris. Eu mesmo não conheço, mas me parece que é uma pessoa muito boa, eu não tenho nada contra. Eu vou assistir à competição que ele vai participar e vou conhecer ele agora no Rio de Janeiro", ressaltou
Toda a torcida tem motivo, além do amor de mãe. Dona Olindina acredita que o fato de estar lutando no seu país não traz uma vantagem para Sarah, mas a faz sentir-se ainda mais pressionada, mesmo capaz de ter um bom desempenho. "Como mãe, acho mais difícil por estar em casa, acho que é mais cobrada. Acho mais difícil do que fora, mas ela está preparada para essa competição", disse.
Fonte: Josiel Martins e Wenner Tito, do Globo Esporte do Piauí.