Você está em » Política
Em 14/06/2018 07:44:16

PERMANECE IMPASSE E PUXE ENCOLHE PELA VICE DO GOVERNADOR

 

Magno Pires

 

            Nenhum poder é exercido por toda vida; em especial o político. Por que todo ele tem começo, meio e fim. Aliás, tudo na terra. E mesmo concluindo o seu período de vigência e de vigorosa ação, o epílogo se dará sob os protestos dos beneficiários que insistem na sua permanência. Entretanto, não têm jeito; ele não ressurgirá; falecerá inexoravelmente.

            A Vice-governadoria de Wellington segue disputadíssima, com o MDB, Progressistas, PT e PTB querendo fazer a indicação.

            O PTB de João Vicente também quis indicar Janaina marques. Durou pouco o desejo “Dos Claudinos”. Contudo, “Seu João” e o filho João Vicente, creio, não devem estar satisfeitos. E apoiarão Elmano Ferrer como candidato a Governador. João Vicente, porém, está filiado ao PTB, da base política de Wellington.

            Agora, contudo, o Deputado Federal Paes Landim com a sua longérrima vida parlamentar e larga experiência política, também retirará o seu apoio da coligação governista se a vaga de Vice não ficar com o PTB. Por trás dessa insurgência, deve estar o espírito “Dos Claudinos”, com o deputado estimulando Claudia Claudino para Vice. Boa proposta, para uma cidadã empresária sem mácula.

            O PT, agora, quer indicar a senadora Regina Souza como Vice. Esta, entretanto, assegurou, dias atrás, que a Vice era do MDB, sendo designado o deputado Themístocles.

            No entanto, a refrega mesmo se dá é entre MDB e Progressistas, respectivamente, o deputado Themístocles e o Senador Ciro Nogueira; este atua para preservar a atual ocupante do cargo, professora Margarete Coelho.

            Dessa disputadíssima relação interpartidária alguém será molestado e/ou prejudicado, ficando sem nada, porque existe apenas uma vaga de Vice. E quatro postulantes. E quatro não cabem no espaço de um.

            O MDB já também avisou que sairá da base aliada do Governador se não for contemplado. E apenas a saída de um para desmilinguir-se o projeto de reeleição do Chefe do Poder Executivo do Piauí. Notdamente do grupo do Senador Ciro.

            E Wellington sabe muito mais do que qualquer outro político do poder de destruição do emedebê, bem como do de Ciro Nogueira, com os seus 100 prefeitos e os deputados estaduais. E agora também de Cláudia Claudino.

            Todavia o maior poder de Ciro Nogueira está em Brasília nos órgãos superiores da gestão federal financeira como a Caixa Econômica Federal. Esse empréstimo de R$ 615 milhões foi intermediado pelo aliado Ciro Nogueira. E devem, exclusivamente a ele, a sua concessão pelo Governo Federal pelo apoio que Temer recebe do Progressistas.

            Havendo uma desistência na base aliada, as oposições necessariamente serão fortalecidas e poderão ser vitoriosas. É tudo isso o que Wellington não quer ver acontecer. Quer impedir isso.

            Entretanto, para liquidar essa fatura da Vice, poderia resolver logo, mas fica nesse puxe encolhe sem fim, com trégua de mais e decisão de menos e/ou nenhuma, prejudicando-se preponderantemente. Deve gostar desse vai-e-vem que só produz muita ansiedade, depressão, irritação e desgostos às partes; especialmente no Governador e em seu projeto de reeleição.

            Portanto, MDB, Progressistas, PTB e PT continuarão construindo um enorme foco de resistência à solução da indicação do Vice por conta da indecisão do Governador, que resolverá somente na undécimo hora; porém, com essa conduta, exaure a paciência e a tolerância de todos os envolvidos e interessados na resolução dessa trama política partidária.

           

 

Magno Pires é membro da Academia Piauiense de Letras, ex-Secretário da Administração do Piauí, ex-consultor jurídico empresarial da Companhia Antactica Paulista (Hoje AMBEV) 32 anos. Portal www.magnopires.com.br com 103.342.200 acessos em 8 anos e seis meses, e-mail: magnopires_mp@yahoo.com.br.