Você está em » Política
Em 10/07/2018 21:31:08

DESISTÊNCIA DE MARGARETE FORTALECE THEMÍSTOCLES

 

Magno Pires

 

            Evidentemente que esse quiproquó gerado pelo Governador petista e aliados em torno da substituição da Vice Governadora deverá ter um fim. Entretanto o governador só encerrará essa novela mexicana na undécimo hora. Mas não o fará, sem antes aporrinhar o juízo dos emebedistas e até de alguns petistas. Estes insistem com uma solução que não agrada os aliados emebedistas. E até insinuam que o Chefe do Poder Executivo piauiense gostaria de ter a senadora petista Regina Souza, como Vice numa solução pura. Certamente para acalentar o presidente do PT, deputado federal Assis Carvalho, e acalmar os seus ânimos e fustigar o dos adversários, inclusive do deputado Themístocles Filho. E daí essa postergação, procrastinação e embromação de sua Excelência Governador em decidir pelo presidente da Assembleia. No entanto o que faltaria para decidir? Principalmente agora, que a Vice Governadora desistiu de concorrer à Vice? provavelmente a posição doutrinaria e filosófica do PT, que não abdica do centralismo político histórico e endógeno de que o assembleísmo partidário e/ou a cúpula do partido resolve e decide independentemente do Governador; que deve se submeter à decisão da direção e do comando partidário. O mais importante é a agremiação política. Os filiados são os instrumentos que apenas coordenam as ações, porém, quem decidirá é o conjunto central da agremiação em votação de assembleia. É ainda o legado deixado pela antiga União das Repúblicas Socialistas Soviéticas que convivera com as ditaduras pseudo comunistas que se desintegrou a partir de 1989, porém, o PT e outros partidos da suposta esquerda mundo afora, principalmente na América Latina, ainda não abandonaram essas ideias ultrapassadas. Consequentemente, MDB, partido conservador, contudo, extremamente tolerante, paciente e estrategista vai, também, enchendo a paciência do PT e do Governador até se decidir por Themístocles. Os emebedistas não desistirão. Não vão perder os cargos na administração estadual. Ainda que esta falação, já cansativa, enjoada e antipática do Governador, a desistência da prof. Margarete Coelho (Progressistas) em declinar do cargo de Vice fortalece, e muito, a condição de Themístocles; sendo impossível a escolha de outro candidato com os méritos, paciência, e a fidelidade do presidente da Assembleia.

            Nenhum outro deputado, mesmo o deputado federal Marcelo Castro (MDB), teria o desempenho e a defesa de Themístocles nos projetos e mensagens do interesse do petista Wellington.

            As decisões políticas são as mais difíceis porque demandam mais tempo à resolução. E exigem de seus interlocutores muita paciência e humildade. Justamente o que não têm faltado ao deputado estadual Themístocles Filho (MDB).

            Acho, porém, que Wellington, embora a resistência do comando partidário petista e a retirada estratégica dos Progressistas, especialmente do Senador Ciro Nogueira, Themístocles deverá ser escolhido pelo Governador Wellington para seu companheiro de Chapa em outubro de 2018.

            A reeleição do Governador Wellington Dias dependerá exclusivamente de três condições: apoio do MDB com a escolha do presidente da Assembleia para Vice; aliança com o Progressistas; e o forte apoio popular da liderança do Governador. Não é do PT. Entretanto, a retirada de qualquer uma das duas primeiras premissas acima, a sua reeleição poderá ter vexames insolúveis.

            E o Senador Ciro Nogueira segue como o mais forte aliado. Inclusive muito mais que o PT, embora a filiação do Chefe do Executivo a este partido.

 

Magno Pires é membro da Academia Piauiense de Letras, ex-Secretário da Administração do Piauí, ex-consultor jurídico da Companhia Antactica Paulista (Hoje AMBEV) 32 anos. Portal www.magnopires.com.br com 104.400.000            acessos em 8 anos e 9 meses, e-mail: magnopires_mp@yahoo.com.br.