Você está em » Negócios
Em 18/03/2013 14:04:00

Terão prioridade os trabalhadores cadastrados no Sistema Nacional de Emprego (Sine) ou nos centros de referência de assistência social. As inscrições não têm prazo para acabar

O Programa Nacional de Acesso ao Ensino Técnico e Emprego (Pronatec) está com inscrições abertas para cursos de formação desde o dia 18 de fevereiro. São 32 mil vagas disponíveis para cursos gratuitos, em várias áreas, em escolas públicas federais e estaduais e, nas unidades de ensino do Senai, do Senac, do Senar e do Senat - o chamado Bolsa-Formação.

Podem se candidatar trabalhadores de todo o Brasil - inclusive agricultores familiares, silvicultores, aquicultores, extrativistas e pescadores; povos indígenas; comunidades quilombolas; adolescentes e jovens em cumprimento de medidas socioeducativas; desempregados; pessoas com deficiência; pessoas que recebem benefícios dos programas federais de transferência de renda ou que estejam cadastradas no CadÚnico; praças do Exército e da Aeronáutica com baixa do serviço militar ou atiradores; estudantes matriculados no ensino médio em escolas públicas, inclusive na Educação de Jovens e Adultos (EJA).

Neste primeiro momento, segundo o Ministério da Educação (MEC), terão prioridade os trabalhadores cadastrados no Sistema Nacional de Emprego (Sine) ou nos centros de referência de assistência social. As inscrições não têm prazo para acabar. O processo é contínuo e pode ser feito a qualquer momento no portal do Pronatec.

Se no momento de inscrição não encontrar a opção desejada, o candidato poderá indicar até três cursos de seu interesse para ser avisado quando surgirem novas vagas. O programa oferece dois tipos de cursos: o técnico, para quem está matriculado no ensino médio, com duração de um ano, e o curso de formação inicial e continuada ou qualificação profissional, com duração mínima de dois meses.

De acordo com o secretário de Educação Profissional e Tecnológica do Ministério da Educação, Marco Antônio de Oliveira, esses cursos gratuitos e de curta duração do Pronatec destinam-se a atender setores produtivos da economia brasileira que requerem qualificação mais elevada e uso de tecnologia. “Temos oferta de mais de 400 cursos de formação inicial e continuada e mais de 200 cursos técnicos, principalmente na área de tecnologia de informação e comunicação, autonomia industrial e no setor de serviços”.

Desde 2011, o Programa Nacional de Acesso ao Ensino Técnico e Emprego já atendeu mais de 2,5 milhões de brasileiros e, até 2014, tem como meta oferecer cursos técnicos e de formação inicial e continuada a oito milhões de estudantes e trabalhadores. Para este ano, estão previstos 2,3 milhões de vagas em 724,5 mil cursos técnicos e mais de 1,5 milhão de vagas em cursos de formação inicial e continuada. Até o final deste ano deve-se chegar a 900 mil vagas ofertadas pelo Bolsa-Formação. “E a depender da procura, o MEC tem condições de ampliar a meta”, avisa o secretário.

Já foram feitas 788,9 mil matrículas no País, com destaque para a Rede Federal de Educação Profissional, Científica e Tecnológica, que tinha previstas 151,5 mil vagas e matriculou 252,7 mil estudantes. Os cursos de formação inicial e continuada registraram 1,7 milhão de matrículas - sendo 548,6 mil por meio do programa Bolsa-Formação Trabalhador e 1,1 milhão resultantes de acordos de gratuidade com o Sistema S.
 

Um dos objetivos do Pronatec para este ano é a implementação do Financiamento Estudantil para Empresas (Fies-Empresa), para que as empresas de pequeno, médio e grande portes possam financiar a qualificação de seus funcionários em vagas oferecidas pelos serviços nacionais de aprendizagem e por escolas particulares habilitadas pela rede federal.

 

Fonte:
Ministério da Educação
Com informações da Agência Brasil

Foto: Divulgação/Empresa Brasil de Comunicação