Política

CIRO: LÍDER DAS OPOSIÇÕES NO PIAUÍ

CIRO: LÍDER DAS OPOSIÇÕES NO PIAUÍ

CIRO: LÍDER DAS OPOSIÇÕES NO PIAUÍ

 

Magno Pires

 

              Não será fácil para qualquer oposicionista impor uma derrota ao forte esquema governista, liderado pelo Governador petista Wellington Dias.

              Sílvio Mendes (PSDB) e Marcelo Castro (MDB), respectivamente, candidatos a Governador e a Vice, e liderados pelo governador Wilson Martins, tentaram em 2014, porém, Wellington foi o vitorioso com o seu Grupo.

              Às eleições de 22, o ex-aliado do Governador Wellington, Senador Ciro Nogueira (Progressistas), quer ser o eventual candidato das oposições para enfrentar o petismo; e a Vice-governadora Regina Souza, com certeza, a candidata do governismo ao palácio Karnak para enfrentar o Senador Ciro Nogueira.

              Entretanto, o governismo não conta apenas com Regina Souza, mas também com o Senador Marcelo Castro (MDB) e Rafael Fonteles (PT), numa eventual desistência de Regina Souza; que poderá concorrer sentada na cadeira de Chefe do Poder Executivo.

              Regina Souza (PT), Vice-governadora, assumirá a governança estadual porque Wellington Dias (PT) deverá ser candidato ao Senado da República, com uma eleição vitoriosa.

              Então, o líder das oposições, Senador Ciro, deverá enfrentar nas eleições de 22, um dos três políticos nominados acima: Regina Souza, Marcelo Castro e Rafael Fonteles, atual Secretário de Fazenda.

              O Senador Ciro teve a coragem política, incomum nos políticos, de deixar a gestão governista, liderada por Wellington Dias, para ser líder das oposições e impor uma provável derrota ao esquema governista. Não será fácil, embora o desgaste do petismo e da principal liderança nacional do PT, ex-presidente Luís Inácio Lula da Silva.    

              Os desgastes impostos ao PT nacional, ao pestismo e ao presidente Lula não prejudicaram ao petismo piauiense porquanto Wellington preserva a sua liderança forte e indomável.

              Entretanto, o Senador Ciro, contará com o prestígio do presidente Bolsonaro, comandando um partido muito forte – o maior do Piauí –, com o maior número de prefeitos, vereadores e lideranças municipais.

              Evidentemente que Wellington e Ciro são os ícones da política piauiense. Ciro tem a maior quantidade de prefeitos, vereadores e lideranças. E Wellington terá um cofre abarrotado de recursos para enfrentar os oposicionistas. Não será um pleito fácil.

              Contudo, o esquema governista ainda conta com a forte liderança do Senador Marcelo Castro, que ninguém poderá prescindir, porque Marcelo Castro é um político muito forte, além de negociador e conciliador de contrários, com proveitos para o Governo petista.

              Evidente, repita-se, Ciro deverá percorrer os mesmos caminhos de Mão Santa , Wellington Dias e Wilson Martins para ser vitorioso, porém, (Ciro) não poderá, jamais, subestimar a liderança da petista Regina Souza; porquanto, Regina trabalha às áreas de sensibilização e atendimento das massas humanas mais fragilizadas do Piauí, que constitui a maioria da população do Estado. E faz um trabalho louvável.

              Deve-se, no entanto, louvar a atitude política do Senador e a sua coragem em um Estado que todos querem ser Governo por uma atitude e conduta mais fácil e frequente.

              Assim, Ciro partirá para o combate. Se percorrer os caminhos antes adotados por Mão Santa, Wellington e Wilson Martins poderá ser vitorioso. Mas, com a certeza, que enfrentará o poderoso Wellington Dias, o fortíssimo Senador Marcelo Castro e outra petista Vice Regina Souza, além da maioria dos deputados da Assembleia Legislativa e dos deputados federais.

              Este pleito de 22 é completamente diferente dos anteriores porque Lula e Dilma, embora aliados de Wellington, estão fora do Palácio de Planalto, a liderança dos dois não é a mesma nacionalmente,Wellington se afastará para ser candidato ao Senado Federal e Ciro conta com o apoio do presidente Bolsonaro.

              Ademais, o consórcio Nordeste, presidido por Wellington Dias, deu-lhe prestígio e grande visibilidade nacional, com o aumento de seu poderoso esquema governista no Piauí.

              Por conseguinte, Ciro está nas oposições e Wellington no Governo. Os dois se enfrentarão numa batalha sem previsibilidade segura de quem vencerá a eleição; embora o esquema governista, apenas eventualmente, haja perdido raríssimas eleições, com Mão Santa em 94 e 98, há 23 anos, tendo imposto derrota em Wilson Martins, com Sílvio Mendes e Marcelo Castro.

 

Magno Pires é Membro da Academia Piauiense de Letras e o Vice-presidente, ex-Secretário da Administração do Piauí, Advogado da União (aposentado), jornalista, administrador de empresas, Portal www.magnopires.com.br, e-mail: [email protected]