Política

GOVERNADORES E SECRETÁRIOS, ALÉM DE FORNECEDORES, DESVIAM RECURSOS DA COVID

GOVERNADORES E SECRETÁRIOS, ALÉM DE FORNECEDORES, DESVIAM RECURSOS DA COVID

GOVERNADORES E SECRETÁRIOS, ALÉM DE FORNECEDORES, DESVIAM RECURSOS DA COVID

 

Magno Pires

 

            Enquanto o governo do Presidente Bolsonaro promove uma verdadeira farra de recursos públicos, em benefício dos brasileiros, transferindo milhões de reais para os Estados, as capitais e os municípios brasileiros, para o combate ao Covid-19, os juízes federais autorizam iinvestigaçõess pela Polícia Federal e os órgãos de fiscalizações, auditoria e controle do Governo da União; para combater as fraudes, os roubos e os desvios dessa dinheirama por governadores, secretários de Saúde dos Estados, prefeitos e senadores e outros agentes públicos envolvidos nessa ação criminosa com enorme prejuízo à sociedade, à população e aos cofres públicos.

         Alguns governadores e prefeitos, eleitos pelo povo, ao invés de darem exemplos à sociedade, meteram a mão nos recursos, saqueando-os despudorosamente, pensando que não daria em nada mais esse roubou, sem freio e/ou limite, no erário público, subtraindo recursos do contribuinte. Pois, a Polícia Federal, que se aperfeiçoa constantemente no combate a essas mazelas criminosas, cometidas por agentes públicos e os órgãos técnicos da União na mesma linha, pegaram autoridades, em conluio com fornecedores e técnicos do serviço público, superfaturando e desviando milhões de recursos para aplicação no combate ao Coronavírus.

         Essas autoridades constituídas e esses empresários, numa atitude e ação desonestas, esquecem que o presidente Bolsonaro, quer imprimir um novo rumo à gestão e à política nacional, substituindo o atual modelo da administração brasileira, que é historicamente patrimonialista, centralizadora, clientelista, conduzindo-a a uma gestão moderna, democrática, participativa e sem vinculação com o passado letárgico. Consequentemente, comprometida com os vícios escravagistas do estado feudal do passado e da era Vargas, com proeminência para sindicalismo, sem prioridade e/ou foco na sociedade, que é o verdadeiro sentido e função do estado democrático de direita nas democracias modernas.

Portanto, esses gestores estaduais e municipais, juntamente com empresários fraudadores dos cofres públicos, sem compromisso com os direitos da sociedade, em ter boa saúde, responderão pelos seus crimes cometidos contra a gestão nacional; e deverão ser rigorosamente punidos pelos juízes, impondo-lhes penas equivalentes às suas ações delituosas contra o bem público, desviando o dinheiro público.

A sociedade brasileira, porém, espera ver esses organizadores e mantedores de quadrilhas no serviço público, presos e condenados, ainda no Governo do presidente Bolsonaro, para eliminá-los do cenário nacional, ainda com o apoio do Chefe da Nação.

 

Magno Pires é Membro da Academia Piauiense de Letras e o Vice-presidente, ex-Secretário da Administração do Piauí, Advogado da União (aposentado), jornalista, administrador de empresas, Portal www.magnopires.com.br, e-mail: [email protected]